In English

Seminário

II Seminário de Cinema de Curitiba

Com a ampla democratização do formato digital de captação e projeção de imagens em movimento, além da vulgarização da internet enquanto plataforma de difusão e comercialização de filmes, os principais desafios do realizador contemporâneo passam de alguma maneira pela questão de como e onde exibir seu trabalho. Outra questão que se coloca é o uso que se pode fazer dos filmes diante da imensa facilidade que se tem para difundi-los no espaço virtual. À luz destes desafios, a segunda edição do Seminário de Cinema de Curitiba realiza seis mesas de debates com agentes de vendas, programadores, curadores, e produtores de cinema.

Cinema e Educação

08 de junho das 14h às 16h
Sesc Paço da Liberdade (Sala Cinepensamento)

• Existe espaço para o Cinema na educação de crianças e jovens? • Como o Cinema pode ser utilizado como ferramenta pedagógica?
• Que tipo de método pedagógico se pode utilizar para ensinar os jovens estudantes a identificar e/ou fruir um filme enquanto obra de arte?

Marcos Cordiolli

Marcos Cordiolli é graduado em História e mestre em Educação. É professor universitário de graduação, de especialização latu senso (em mais 20 IES); de mestrado (em uma IES; É consultor em gestão do trabalho pedagógico e proposições curriculares na Educação Básica (com serviços prestados para dezenas de instituições) e Superior (com trabalhos prestados para mais de 20 IES); É consultor pedagógico na área de Educação Corporativa. É Produtor Executivo de Cinema e Televisão. Foi assessor técnico da Comissão de Educação e Cultura da Câmara dos Deputados. Foi assessor da diretoria da Agência Nacional do Cinema – Ancine. É presidente da Fundação Cultural de Curitiba.

Anja Göbel

Anja Göbel formou-se em 2007 na Universidade de Lüneburg, com um mestrado em Estudos Culturais. De 2008 a 2010, ela foi treinee no Deutsche Kinemathek – Museu de Cinema e Televisão de Berlim. De 2011 a 2012, ela morou em Paris, onde formou-se na Sorbonne Nouvelle com um mestrado em Educação no Cinema. Hoje, ela trabalha com distribuição de filmes no Deutsche Kinemathek e como autora freelance e coordenadora de eventos culturais em cinema e educação no cinema.

Curadoria e Programação

09 de junho das 14h às 16h
Sesc Paço da Liberdade (Sala Cinepensamento)
  • Existem critérios objetivos na seleção e curadoria de filmes para festivais de cinema?
  • O que faz de certos filmes grandes sucessos em festivais autorais e qual o reflexo de sua escolha por um determinado festival em seu lançamento comercial?

Sara Silveira

Sara é atualmente uma das mais ativas produtoras de filmes no país. Residindo em São Paulo desde 1981, ela começou trabalhando no cinema como assistente de produção no filme “Nasce uma Mulher”, de Roberto Santos, e produção de locação em “Além da Paixão”, de Bruno Barreto. Em 1991, funda a empresa produtora Dezenove Som e Imagens, junto ao cineasta Carlos Reichenbach, e desde então, administra em parceria com a também produtora Maria Ionescu, produzindo ao longo dos anos, alguns dos filmes mais memoráveis do cinema brasileiro.

Lis Kogan

Lis Kogan atua como curadora, produtora e coordenadora de diversos projetos ligados à pesquisa e difusão de cinema brasileiro. Dentre outros, foi uma das responsáveis pelo Cachaça Cinema Clube, no Rio de Janeiro, coordenou o projeto Porta Curtas Petrobras, e coordenou a programação brasileira do Festival Internacional de Curtas do Rio de Janeiro. É fundadora e responsável pela Semana dos Realizadores desde 2009. Em 2011 assumiu a direção e curadoria da mostra,que terá em 2013 sua quinta edição.

Bernard Payen

Editor-chefe do site Objectif Cinema por seis anos (2000-2006),Coordenador da programação de curtas-metragensda Semana da Crítica desde 2006, programador da Cinemateca Francesa e colaborador mensal de um programa sobre cinema para uma rádio local de Paris.

Kathrin Kohlstedde

Kathrin Kohlstedde estudou Ciências Políticas e Filosofia. Depois de sua primeira visita a um festival de cinema, ela foi atraída pelo fascínio do mundo dos festivais, um espaço capaz de apresentar filmes ímpares que as pessoas nunca verão nos cinemas e criar um local e um fórum onde as pessoas podem trocar ideias e visões. Depois de uma excursão para trabalhar num programa noturno de TV para experimentar como criar diversão com impacto comercial, ela passou a ser a Chefe de Programação do Festival de Cinema de Hamburgo desde 1999.

Master Class com Pablo Giorgelli

10 de junho das 14h às 16h
Espaço Itaú de Cinema - Sala 3

Exibição do longa metragem argentino “Las Acacias(melhor filme do júri popular no Olhar de Cinema 2012 e câmera de ouro na Semana da Crítica no Festival de Cannes)  seguida de aula máster com o diretor do filme, Pablo Giorgelli.

Pablo Giorgelli

Pablo Giorgelli nasceu em Buenos Aires. Diretor, roteirista e editor. Las Acacias é seu primeiro longa de ficção, o filme selecionado para a Semana da Crítica em Cannes 2011 onde recebeu o prestigioso Camera d'Or de melhor. Selecionado também para ser parte de importantes festivais como Toronto, Busan. Em 2012, Pablo fez o curta-metragem Reencuentro. Agora, ele está preparando seu segundo recurso filme "Monobloco".

Workshop de Cinematografia Digital Sony – Produzindo em HD, 4K e além

11 de junho das 14h às 16h
Sesc Paço da Liberdade (Sala Cinepensamento)

Uma visão das linhas de produtos atuais para produção e cinematografia digital em HD, 2K, 4K e além. Noções gerais das tecnologias de captação Super 35mm em HD, 4K e além, bem como das tecnologias de gravação e produção, como XAVC e RAW. Uma visão do workflow de produção cinematográfica com as tecnologias de gravação em memória.

Erick Soares

Engenheiro de Suporte a Vendas, atuante há 13 anos na Sony, especialista em novas tecnologias e produtos no mercado de Broadcast, formado pela F.E.I (Faculdade de Engenharia Industrial – S.B.C./SP) e Pós-Graduado pela F.I.A. (Fundação Instituto de Administração- USP), acompanhou o desenvolvimento de novos produtos, servindo de interface entre clientes brasileiros e engenharia do Japão, bem como participou de diversos eventos nacionais e internacionais.

Agentes de Vendas Internacionais

12 de junho das 14h às 16h
Sesc Paço da Liberdade (Sala Cinepensamento)
  • É possível ganhar (algum) dinheiro com venda de filmes?
  • O papel do agente de vendas na inserção de filmes no mercado mundial de cinema independente;
  • O que torna um filme atraente para um comprador internacional?
  • Como preparar seu produto para o mercado?

Carole Moser

Carole Moser é internacionalista e especialista em Projetos Culturais pela IESA - Paris. Trabalha na ELO COMPANY como coordenadora de projetos e comunicação. Produziu o Curta Como Quiser (festival multiplataformas de curtas-metragens) e outros projetos de leis de incentivo. Acompanha o processo de licenciamento e aquisição de títulos prontos assim como a seleção e desenvolvimento de produções para lançamento em salas de cinema e outras mídias.

Anne Wiedlack

M-appeal é uma empresa mundial de vendas jovem sediada em Berlim. Nós nos dedicamos a levar as joias do cinema fresco, de qualidade e inovador com apelo de mercado global para a comunidade internacional. Nós nos especializamos em filmes de diversas origens, incluindo o sul, o norte e o leste europeu, Alemanha, Ásia e América Latina, que tenham um potencial de distribuição nas salas de cinema. Nós também temos um interesse particular em filmes gays.

Linguagem, Crítica e Realização

13 de junho das 14h às 16h
Sesc Paço da Liberdade (Sala Cinepensamento)
  • Quem escreve, quem lê, e onde se escreve crítica cinematográfica atualmente?
  • Qual o papel da crítica de cinema no atual cenário de produção e difusão?
  • Como o crítico de cinema pode influenciar na difusão de filmes independentes?

LUIZ FERNANDO ZANIN ORICCHIO

Mestre em psicologia clínica pela USP. Jornalista no jornal O Estado de S. Paulo desde 1990, onde exerceu diversos cargos: repórter, crítico de cinema, repórter especial, colunista e editor do Caderno Cultura durante nove anos. Autor de Cinema de Novo - um Balanço Crítico da Retomada (Estação Liberdade, 2003), Guilherme de Almeida Prado (Aplauso, 2005), Fome de Bola - Futebol e Cinema no Brasil (Aplauso, 2006). É presidente da Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine).

Fábio Andrade

Formado em Jornalismo e Cinema pela PUC-Rio, com extensão em roteiro cinematográfico pela School of Visual Arts de Nova York, é crítico de cinema, roteirista, montador e tem o projeto musical Driving Music. Desde 2007, escreve na revista Cinética, assumindo sua editoria em 2010 e publicou em revistas e catálogos de mostras e festivais no Brasil e exterior. No cinema, tem trabalhos com os diretores Paula Gaitán, Eryk Rocha, Geraldo Sarno e Bruno Safadi.