In English

Premiados

_MG_8756

Premiados do Olhar de Cinema – Curitiba Int’l Film Festival 2013!

Competitiva Internacional de Longa Metragem

Prêmio Olhar: 74, THE RECONSTITUTION OF A STRUGGLE (Líbano) de Raed Rafei e Rania Raei).
O júri considera muito importante que exista um filme como este. Nos ajuda a seguir pensando em que mundo queremos viver. É um filme que trata de uma complicada discussão política que ainda segue vigente, com um olhar revolucionário. Trata com rigor e sensibilidade as contradições que existem entre o individual e o coletivo dentro de um contexto de luta. Também faz com humor e entusiasmo. Porque é um filme que conta um feito do passado, porém fala de nosso presente sem deixar de lado o lado intimo da dimensão humana daquelas pessoas que põem seu corpo tentando mudar o mundo

Prêmio Especial do Júri: GREATEST HITS (México/Canadá/Holanda) de Nicolás Pereda.
Por explorar os vínculos familiares com um olhar caloroso e profundamente humano alcançando um retrato pessoal que fala também de nossa realidade latino americana, através de uma linguagem de risco que não teme quebrar e recompor constantemente o jogo tradicional de crença que existe entre os espectadores e os filmes.

Prêmio de Contribuição Artística: LEVIATHAN (EUA/Reino Unido/França) de Lucien Castaign-Taylor e Véréna Paravel.
Por ser um filme único, arriscado, hipnótico, que sem necessidade de palavras reflete o modo inovador e bruto da brutalidade do sistema em que vivemos.

Competitiva Internacional de Curta Metragem

Prêmio Olhar: OH WILLY (Bélgica/França/Holanda), de Emma de Swaef e Marc James Roels.
Por ser um filme lindo, criativo, de espírito livre e grande coração. Feito com criatividade, rigor e um precioso trabalho artesanal que fala da dor, da solidão e da angustia existencial com um olhar original e profundamente humano.

Menção honrosa: THE LIZARDS (França) de Vincent Mariette.
Um filme que fala com sutileza e senso de humo sobre as inseguranças, os preconceitos e as relações sexuais de nosso tempo.

Prêmio adicional – Prêmio especial do júri: STRUGGLE (Canadá), de Sophie Dupuis.
Um filme contundente, preciso, rigoroso, difícil de fazer, emocionante que consegue retratar o complexo de uma relação incestuosa com austeridade, economia narrativa e humanidade

Competitiva Olhares Brasil de Longa Metragem

Prêmio Olhar: KÁTIA (Brasil), de Karla Holanda.
Pela sua carismática personagem principal e sua forma honesta de lidar com um tema delicado.

Prêmio de Contribuição Artística: MATÉRIA DE COMPOSIÇÃO (Brasil) de Pedro Aspahan.
Pela sua forma investigativa na relação entre som e imagem.

Menção Honrosa: A FLORESTA DE JONATHAS (Brasil) de Sérgio Andrade.
Pela criação de uma atmosfera densa e um particular mundo exótico.

Competitiva Olhares Brasil de Curta Metragem

Prêmio Olhar: POUCO MAIS DE UM MÊS (Brasil), de André Novais Oliveira.
Pela simples mas rigorosa forma e pela minimalista mas emotiva narrativa.

Prêmio de Contribuição artística: ANIMADOR (Brasil), de Cainan Baladez e Fernanda Chicolet.
Pelo seu sucesso em misturar 3 diferentes géneros cinematográficos, em uma refrescante e equilibrada forma.

Prêmio adicional – Prêmio especial do júri: LINEAR (Brasil), de Amir Admoni.
Pelo sua inesperada e original forma de lidar com os problemas da cidade,

Prêmio do Público

Competitiva Internacional de Longa Metragem: ESSE AMOR QUE NOS CONSOME (Brasil), de Allan Ribeiro.
Competitiva Internacional de Curta Metragem: THE LIZARDS (França), de Vincent Mariette.
Competitiva Olhares Brasil de Longa Metragem: KÁTIA (Brasil), de Karla Holanda.
Competitiva Olhares Brasil de Curta Metragem: CALIFA 33 (Brasil), de Yanko Del Pino.

Prêmio Abraccine – Associação Brasileira de Críticos de Cinema

LEVIATHAN (EUA/Reino Unido/França) de Lucien Castaign-Taylor e Véréna Paravel.

Prêmio Novo Olhar para o melhor filme da mostra Novos Olhares

CATIVEIRO (Portugal), de André Gil Mata.
Menção honrosa: NOT IN TEL AVIV (Israel), de Nony Geffen.

Prêmio RPCTV para a mostra Mirada Paranaense

O CASTELO (Brasil), de Rodrigo Grota.